sábado, 16 de fevereiro de 2008

021: Velho safado e de porre nem o cão pode.

Vocês tem notado que eu estou demorando um pouco de postar no blog e para comentar no blog de vocês também. Pois é, desde a alguns dias atrás eu larguei minha [ótima] vida de vagabundo [ desempregado. rs], faço parte agora do grupo de homens empregados e com responsabilidade [e que responsabilidade!].
Estou trabalhando a mais ou menos uma semana em uma empresa que presta serviços de transporte coletivo aqui no estado. E eu como não tenho muita sorte [na verdade a sorte me abandonou de vez! rs] trabalho direto com o os consumidores. Trabalho como cobrador de ônibus.
Legal? Um pouco [vai me render alguns posts como os de hoje, mais também muito cansaço].
Hoje durante todo o percurso em que trabalhei nada de anormal aconteceu-me a não pelo fato deste senhor Bigodudo e do que ele aprontou.
Baixo, gordo, chapéu de couro na cabeça [típico nordestino, ou calanguinho do Nordeste como o apelidei.rs] ele veio em minha direção.
O ônibus tinha acabado de fazer a viagem e tinha 10 minutos de intervalo.
Ele veio em minha direção e perguntou:
- Que horas sai este ônibus?
Informei-lhe tudo direitinho e voltei para meus pensamentos [cerveja, festa, e coisas que eu queria muito naquele momento].
Ele cutucou meu braço pela janela do ônibus. Sorriu para mim [um sorriso nu, sem a maioria dos dentes, contei apenas uns 4] e voltou a falar:
- Tudo bem? [aí senti o bafo de cachaça e ensaiei três desmaios]
Respondi que estava tudo bem e virei, pensei comigo: “Ah não! Aturar bêbado agora não!”
Depois de uma nova cutucada em meu ombro ele novamente dirige-se a mim:
- Que cabelo lindo. Posso te pagar um refrigerante?
Ân?! Refrigerante? Disse-lhe que não e agradeci.
- E água você quer?
- Que nada não meu tio – respondi.
- Você é bem inteligente né? [o.O’]
Não soube o que responder. Fiquei calado enquanto ele me vinha com mais uma.
- Olha só, quando eu entrar no ônibus vou te dar meu número do celular.
Pensei com meus botões: “Uiaa! O calanguinho tem celular. Todo chic. Quem agüenta?!”
O Velho safado me assediando de tudo quanto é forma. Eu já estava tão vermelho que já estava ficando roxo de tanta vergonha.
O Calanguinho entrou no ônibus e pôs umas sacolas perto da porta. Graças a Deus não me deu o número do celular dele.
No meio da viagem, numa hora em que o motorista estava abrindo a porta para um passageiro descer e passou num buraco fazendo todos tripulantes do ônibus pularem, uma sacola do Calanguinho rolou escada abaixo [uma melancia] e espatifou-se no meio da rua.
Eu ri por dentro. Aquilo foi por ele ter-me feito passar vergonha.
Mais olhando por um outro lado, eu devo ta muito bem na fita [muito bonito ou coisa parecida] para até um homem velho que tem idade para ser meu pai ou meu avô está dando em cima de mim. [Eu agüento com isso?]
Será que ele pensou que eu era garoto de programa? [o.O]
Velho safado! Depois que ele desceu do bus ele olhou-me e riu, eu ri. Ri muito daquilo tudo.
Pelos menos acabou com a monotonia do meu dia e me fez dar umas boas gargalhadas.

Eu heim!

10 comentários:

*•Rαfαεℓℓyиhα•* disse...

Oii! Vlw pelo comentario no meu blog!!

To t linkando ok??

Bjuus

Milla disse...

Velho sem dente, com cara de nordestino, querendo passar número de celular prum outro rapaz? o.O'
Realmente... Esse mundo me surpreende! hauehauiehauehaueh
Bom, se neste meio tempo de trabalho vc já vivenciou uma cena "eu hein!" como esta, vá se preparando...rs...
Adote um novo lema: Na vida, tudo é passageiro. =D

A proposito, fiquei muuuito lisongeada de vc ter me adicionado as recomendações! De verdade.

Bjs,
e boa sorte no trampo nos próximos dias! Continue como está, fazendo das cenas cotidianas um motivo para sorrir! Nem que seja da cara do Zôto! haeiuhaeuihaeiuh

Gabrielle disse...

Poxa, mal arrumou um emprego e já está arrasando corações! Te prepara que isso é só o começo. Daqui a pouco, você estará postando que uma senhora de meia idade, uma adolescente baixinha e mais 14045887 de mulheres e velhões tarados estarão te assediando.
Te cuida, rapaz!
Hehehehehehe!
Beeeeeijo!

v. disse...

Histórias de trocador são boas! Porque eles passam tanto tempo vendo pessoas entrando e saindo. Eu mesma, se fosse, ia notar todo mundo. Sou muito perfeccionista! Mal de virginiana!
Beijos

v. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Milla disse...

Oops... te passei um meme... fica brabo não... as vezes é bom sair da rotina blogal [?] e postar algo fora do comum...
e eu sei q coisas fora do comum pouco te incomodam! hheuiehueheuh

Bjs!!

Fashion Addicted disse...

oiii
nossa faz mó tempo q naum passo por aki
eh pq minha vida ta mtu corrida ultimamente(genti pop eh assim, hahahaha, ALÔKA!!!)
entoncesss
assim que vc começa a posta mais, me avisaaaa
seu blog sempre me diverteeee
hahahahahaha
flw

Pra mim é tudo isso mesmo, quase nada... disse...

Tadinho do calanguinho amigo lagarto!!!!
Aposto que ele era cabra macho sim senhor. Somos nós que estamos nos distanciando demais uns dos outros e quando alguém age de maneira mais espontânea, soa estranho.
Devia ter aceitado um refri do veio...quem sabe ele era alguém importante, que tirou a dentadura só pra testar as pessoas. E se ele estivesse escolhendo alguém pra deixar sua fortuna?
Acho que você perdeu uma oportunidade de mudar de vida!!!
Rsrsrsrsrsrs

Biel, o Bardo disse...

sim, eles estão à solta! velhos desdentados, se oferecendo a jovens inteligentes cobradores de onibus! hehehhee....
cuidado! um deles pode ficar durante o percurso todo soh para estar com vc e nao satisfeito entrar de novo na mesma linha! hehehehe...
trate de postar mais!

Heliarly disse...

já ia esquecendo, o livro é muito bom, nem parece que tem uns 2 mil anos!

Blog Widget by LinkWithin